Nesta Nota Editorial, à semelhança do que foi feito no número anterior da Folha Criacionista sobre o olho e a visão, analisa-se sucintamente o ouvido humano como sensor biológico de grande sensibilidade e capacidade para detectar amplo intervalo de intensidades e freqüências das ondas sonoras.

A literatura científica sobre o assunto substitui a atuação de um Deus criador, com propósito, desígnio e planejamento, por uma Natureza que mediante sucessivas tentativas conseguiu (miraculosamente, sem dúvida) estruturar todo o mecanismo da audição!