Há mais de vinte anos atrás, durante as missões espaciais “Viking” de 1970, quando se conseguiu orbitar o planeta Marte, e obter cerca de 54 mil extraordinárias fotografias de sua superfície, tornou-se famosa a figura de um “rosto” obtida de forma bastante precisa em duas fotografias do solo de Marte (Fotos Viking 035a72 e 070a13). Na última missão espacial que conseguiu novamente atingir o planeta Marte, a cápsula “Mars Global Surveyor”, utilizando uma câmara fotográfica especial (“Mars Orbiter Camera”), obteve novas fotografias da mesma região onde foi avistado o “rosto”, denominada “Cydonia”. Voltou à baila, assim, novamente, a questão do famoso “rosto”.

De fato, a fotografia obtida há cerca de vinte anos atrás aparentava representar o rosto de uma pessoa, em escala monumental, podendo-se mesmo observar com certa nitidez os seus olhos, nariz, boca, cabelos e barba, o que levou então a uma série de conjecturas que foram sendo feitas a seu respeito.

Publicações de cunho científico passaram a se preocupar desde então com este suposto artefato marciano, não tendo ficado atrás também publicações outras, de cunho místico, esotérico e metafísico.