A Sociedade Criacionista Brasileira surgiu há quase trinta anos, quando os seus Editores participavam, de formas distintas, das atividades acadêmicas na instituição de Ensino hoje denominada Instituto Adventista Campineiro, em Hortolândia, SP.

Naquela ocasião, foram colegas de estudo o nosso Editor-Secretário, Rui Corrêa Vieira, e o então aluno Admir J. Arrais de Matos. O tempo passou, e o jovem Admir prosseguiu sua carreira de estudos até graduar-se e doutorar-se em Biologia, passando a ser professor naquela mesma instituição.

Defensor acérrimo do Criacionismo, Admir participou de célebre polêmica corajosamente travada com conhecidas autoridades evolucionistas da Universidade de São Paulo. Foi responsável, também, por um programa editorial de livros didáticos com enfoque criacionista, para escolas cristãs.

Os Editores da Sociedade Criacionista Brasileira tiveram a oportunidade de participar de vários congressos e encontros criacionistas juntamente com o Professor Dr. Admir, e guardam boas recordações do agradável convívio então mantido.

É, portanto, com pezar que recebemos a notícia do falecimento deste nossso amigo e pioneiro da causa criacionista em nosso País, no dia 30 de março passado.

Pouco antes de falecer, o Professor Admir escreveu um artigo intitulado “A Entropia que nos atinge: Podemos superá-la?”, no qual manifesta sua fé criacionista, juntamente com a esperança da restauração de todas as coisas por ocasião do segundo advento de Cristo.

A Folha Criacionista, reconhecendo o importante papel desempenhado pelo Professor Dr. Admir J. Arrais de Matos para o fortalecimento das convicções criacionistas junto especialmente às crianças e jovens estudantes em nosso País, expressa aqui o seu reconhecimento pelo trabalho profícuo e persistente por ele efetuado no decorrer de sua breve mas profícua permanência neste mundo, e publica a íntegra de seu artigo mencionado.

“Bem-aventurados os mortos que desde agora morrem no Senhor … pois as suas obras os acompanham.” (Apocalipse 14:13).