A revista criacionista americana intitulada “Perspectives on Science and Christian Faith“, publicada pela “American Scientific Affiliation“, em seu número 4, volume 52, de dezembro de 2000, traz uma “Resolução sobre a Criação”, elaborada pela vigésima sétima Assembléia Geral da Igreja Presbiteriana nos Estados Unidos, que transcrevemos abaixo para nossos leitores, pelo interesse que realmente ela desperta:

Resolução sobre a Criação

A 27ª Assembléia Geral da Igreja Presbiteriana nos Estados Unidos declara:

1. Que os capítulos 1 e 2 de Gênesis constituem um relato histórico, auto-consistente e verdadeiro da criação feita por Deus, do universo e da humanidade, em seis dias.

2. Que os capítulos 1 e 2 de Gênesis não representam um relato mítico da criação sem realidade no espaço e no tempo.

3. Que os capítulos 1 e 2 de Gênesis representam um relato unificado da criação, e não dois relatos inconsistentes entre si.

4. Concordamos com nossos pais que Deus fez todas as coisas diretamente pela sua ordem. Que nenhuma parte do universo, nem nenhuma criatura nele existente surgiu por acaso ou por outro poder que não o do Soberano Deus.

5. Que os oito atos criadores do capítulo 1 de Gênesis foram discretos e sobrenaturais, e descrevem a criação de todas as “espécies”.

6. Que as coisas criadas através desses atos foram trazidas à existência instantânea e perfeitamente.

7. Que Deus fez Adão imediatamente a partir do pó da terra, e não de uma forma animal mais baixa, e que o sopro de Deus tornou o homem uma alma vivente, à imagem de Deus.

8. Que Deus fez Eva diretamente a partir de Adão.

9. Que toda a raça humana, com a exceção de nosso Senhor Jesus Cristo, descendeu de Adão e Eva mediante geração ordinária.

10. Que cada uma das espécies resultou de atos criativos separados, e que qualquer desenvolvimento genético se dá somente dentro dessas espécies, negando assim a macroevolução.

É realmente oportuna a preocupação da Igreja Presbiteriana americana com relação à questão da Criação, pois realmente ela é básica para a defesa dos relatos da Bíblia sob o ponto de vista criacionista.

Esperamos que nossos leitores levem em conta esta posição em sua análise a respeito da controvérsia entre Criação e Evolução, que sem dúvida se estende também ao âmbito teológico.